Cozinha também transforma!

Cozinha também transforma!

Adélia Rodrigues coordena o Gastronomia Periférica, projeto que busca transformar a sociedade por meio da cozinha.

“Eu gosto mesmo é de gente, de histórias compartilhadas, de reescrever os sentidos delas”. É assim que a psicóloga e educadora Adélia Rodrigues descreve a si mesma. Decidiu estudar psicologia para focar nas questões sociais, e o trabalho educacional surgiu naturalmente; Afinal, não existe transformação sem compartilhar conhecimento.

Coordenou pedagogicamente o Centro de Juventude da Fundação Julita e a Universidade Livre da Inovação (ULI). Ademais, em 2017, fundou o As Minas, um projeto de desenvolvimento feminino com foco na figura da mulher para estimular a igualdade.

Mas qual sua relação com a gastronomia? Adélia é sócia e gestora dos projetos do Gastronomia Periférica, iniciativa criada em 2012 por Edson Leite com a finalidade de provocar transformações sociais através da gastronomia. “Nosso objetivo é chegar em periferias diversas, e não esperar que jovens e adultos venham até nós”, explica. “A cozinha é uma ótima forma de auxiliar um jovem a aprender valores, disciplina, responsabilidade, ética e cooperação, ao mesmo tempo em que pode gerar renda”, esclarece.

Em 2017, deram um passo à frente com a criação de uma escola gastronômica gratuita localizada no Capão Redondo, com o objetivo de encorajar jovens e adultos a continuarem aprendendo e viabilizar que aqueles que desejam trabalhar no ramo tenham as ferramentas necessárias. Adélia ficou responsável pelo acompanhamento e a orientação dos professores, além de lecionar a disciplina de Projeto de Vida e Desenvolvimento Humano. Por meio de aulas e atividades interativas, a educadora provoca reflexões acerca do poder que a alimentação proporciona.

Na foto, Adélia Rodrigues e Edson Leite, sócios do projeto Gastronomia Periférica, aparecem sentados em uma rampa, apoiados no corrimão. Foto: Leidyla Nascimento
Adélia Rodrigues e Edson Leite. Foto: Divulgação

O ensino vai muito além de apenas falar sobre cozinha e explicar os procedimentos de determinada receita. Pelo contrário, constrói ferramentas de conscientização sobre desperdício e aproveitamento total dos alimentos, trata da terra, das etapas da cadeia e de todas as pessoas que trabalham no processo. Além disso, são discutidas escolhas éticas e políticas e ainda debatem projetos de vida para cada um dos alunos. “O meu papel é costurar tudo isso; Pensar no desenvolvimento humano dentro desta formação”, relata.

O ano é intenso. A grade curricular oferece técnicas de cozinha, educação financeira, cozinha brasileira, empreendedorismo, sustentabilidade, etnografia da cozinha nas periferias, e projeto de vida e desenvolvimento humano. Ademais, os estudantes vivenciam estágios em hortas, cozinhas coletivas, eventos de catering e até em restaurantes. “A maior dificuldade é fazer as pessoas entenderem que a cozinha não é só empratamento”, aponta.

Adélia afirma que na periferia a evasão é um grande desafio, uma vez que muitas vezes as pessoas desistem do aprendizado por questões financeiras e falta de incentivo da família. Para tentar solucionar o problema, o projeto da Gastronomia Periférica oferece acompanhamento de todos os participantes individualmente.

Apesar de muitos desafios, a psicóloga realiza seu trabalho com responsabilidade e prazer. “A melhor parte é perceber como o alimento pode ser transformador na vida das pessoas e quanto mais elas percebem isso, mais empoderadas ficam de suas próprias histórias. E eu amo ouvir a história de cada uma delas. Seus sonhos são cozinhar e servir algo que prepararam. É [uma coisa] linda de ver”, finaliza.


Instagram: @adeliarodriguezs | @gastronomiaperiferica

Facebook: Gastronomia Periférica

Contato: gastronomiaperiferica@gmail.com | (11) 9 6314-3388 | (11) 9 3228-4560

Foto destaque de: Leidyla Nascimento

Post anterior: Gastronomia indígena

Website | + posts

Criadora e redatora do Mulheres na Gastronomia! Sou estudante do terceiro ano de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo. Embora não tenha muito sucesso em minhas experiências dentro da cozinha, tenho uma paixão imensa por saborear os melhores pratos e contar histórias. Então, nada melhor do que juntar essas paixões em um mesmo lugar, trazendo pautas diferentes e interessantes, sempre com muita diversidade e diálogo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *